Adega Pedremoura

A tradição do processo de fermentação de vinhos em talhas ou ânforas, tem seculos de existência no Alentejo e em particular no concelho de Cuba e Vidigueira. Foram os Romanos que estiveram no que é hoje Portugal entre o sec. II (A.C.) e o séc. V, deixaram-nos a tradição de fazer vinho em grandes potes ou ânforas de barro, às quais chamavam talhas.

Esta tradição milenar foi mantida até aos nossos dias pelos vitivinicultores do Alentejo, e o vinho de talha que esteve quase a desaparecer no séc. XX, está hoje num crescendo de notoriedade e popularidade, sendo já reconhecido e certificado pela CVRA (Comissão Vitivinícola Regional do Alentejo).

O vinho talha é um produto natural, feito sem a adição de qualquer produto químico e deve ser degustado á volta de uma mesa, com os tradicionais petiscos Alentejanos e em especial, com um bom grupo de amigos.